A pele é o maior órgão do corpo humano e, assim como os outros, sofre alterações com o passar dos anos, muitas vezes influenciadas por nossos hábitos diários. Por ser nossa camada externa, a pele precisa de cuidados específicos, já que a perda de colágeno após os 30 anos torna-se maior no período da menopausa.

Flacidez, rugas, manchas, além do ressecamento pela falta de hidratação adequada, são queixas recorrentes no consultório e procuro orientar minhas pacientes sobre a importância de estabelecer uma rotina de skincare, aliada a alimentação saudável e o consumo de muito líquido, principalmente água, tão importante para a manutenção da nossa vitalidade.

Hoje, cuidar da pele não é somente algo estético, vai muito além disso. Nossa autoestima e saúde emocional estão diretamente vinculadas ao que vemos quando olhamos no espelho. Se o que nos incomoda, tem tratamento, buscar um especialista para melhorar nossa visão sobre nós mesmos, é muito válido e pode ser muito gratificante também.

A tecnologia está a nosso favor e sou bem enfática quando falo que temos todos os tratamentos para melhorar o que nos incomoda. Aliás, associar os protocolos realizados em clínica com os cuidados diários em casa, tornam maiores as chances de bons resultados, atendendo quase que 100% das nossas expectativas.

A busca pela saúde deve ser sempre de forma integrada. Cuidar da pele aos primeiros sinais de envelhecimento é uma forma de prevenir que possamos chegar à maturidade mais joviais, porém, não se pode esquecer que o corpo fala.

A atividade física é primordial para ajudar no fortalecimento dos músculos, manter os órgãos ativos e colaborar para a manutenção destes. Mas, é preciso ter consciência do próprio corpo e lembrar que tudo em excesso também é prejudicial. Atualmente, muito tem se falado sobre o fortalecimento muscular pélvico, justamente pelo aumento da prática de esportes durante essa fase pandêmica, o que considero de extrema importância para a saúde da região e prevenção à desconfortos que possam, porventura, surgir na melhor idade.

No auge dos meus 52 anos, vejo o resultado de todo o meu esforço e dedicação a cuidar de mim mesma. E não digo isso apenas por ser dermatologista e por ter acesso à procedimentos estéticos e dermatológicos diariamente, pois meu desejo em chegar bem à maturidade vem antes disso. Se sentir dona de si, no seu padrão e se considerar sua melhor versão, não tem preço. Por isso, cuide- se! Use filtro solar, cuide da pele, dos cabelos, do corpo e da mente. Busque o seu melhor, por você e, tenho certeza, “velhice” ficará apenas no dicionário!

  • CREMESP 78.300 RQE – SP 27.614 @clinicaadrianavilarinho • Graduada em Medicina e Residência Médica em Dermatologia pela Faculdade de Medicina do ABC – São Paulo. • Título de Especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). • Preceptora do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina do ABC – 1993 a 2003. • Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD – e regional de São Paulo. • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD. • Membro da American Academy of Dermatology – AAD. • Autora do livro "Beleza à Flor da Pele" – Ed. Abril.

Relacionados