Como a vida muda, o humor, a relação com o mundo, quando estamos com ou sem dor!!!

✔️Será que nossa família nos entende ou se frustra frente a essa mãe, esposa, filha, que muitas vezes não pode acompanhar o programa?

✔️Será que o médico no consultório sabe da responsabilidade e expectativa que existe durante o possível tratamento?

✔️Nossos amigos nos julgam, nos entendem, nos comparam ou vão embora frente às dores e limitações?

E o mais importante: como vivemos dentro deste corpo quando a cabeça, e a energia, pedem mais?

Para pacientes, família, amigos e médicos, amanhã, dia 7 de julho, às 18h, farei uma Live sobre o meu testemunho, de uma mulher que sabe como é viver com e sem dor.

PS: Reconheço que, para mim, significa muito fazer essa Live, mas a ideia é ajudar a outros pacientes crônicos, seus familiares, amigos e mostrar aos médicos, fisioterapeutas e laboratórios, como é essa vida de altos e baixos e o que podemos fazer, juntos, para melhorar essa condição.

Essa Live também será a minha homenagem para todos os pacientes crônicos que buscam incessantemente por uma qualidade de vida física e emocional melhor.

Espero por vocês!

7 de julho, no perfil @ocaminhodoencontro

  • Idealizadora, curadora do O Caminho do Encontro, um espaço para mulheres que estão transitando os 50 anos, que procuram um lugar feminino onde possam valorizar a maturidade para ressignificar essa fase da vida.

Relacionados