O que não foi resolvido, ficará marcado em nosso corpo e em nossa alma.
Nos comprometemos muitas vezes com mais coisas do que somos capazes de carregar, mas continuamos porque:
Sentimos culpa de dizer não ao outro.
Não reconhecemos nossos limites.
Sentimos a onipotência de que sempre vamos conseguir, mesmo que seja dando “um jeitinho”, físico ou psicológico.
As vivências, sejam elas positivas ou negativas, nós vamos enviando para a mochila, de forma automática, mesmo sem entender o porquê.
Algumas experiências que vamos colocando dentro da mochila:

• Situações traumáticas.
• Feridas não tratadas.
• Desilusões que nos impedem de avançar.
• Coisas que não sabíamos que existiam.
• Frustrações.

O que não resolvemos, fica marcado em nosso corpo e em nossa alma.
Muitas vezes temos a sensação de DOR, por ter passado por alguma situação que não pudemos evitar.
MAS COMO FAZER PARA PODER ESVAZIAR A NOSSA MOCHILA?
É necessário: DECISÃO E CORAGEM.
O que vamos enfrentar poderá ser doloroso, mas absolutamente NECESSÁRIO.
TEMOS QUE BUSCAR UM SENTIDO PARA NOSSA VIDA, UM PROPÓSITO.
Mas por que decidir encarar esta LIMPEZA EMOCIONAL?
POR QUE DESEJAMOS VIVER MAIS LEVES.
PORQUE QUEREMOS SOFRER MENOS.
Porque somos MERECEDORAS!!!
EU QUERO CUMPRIR O MEU PROPÓSITO DE VIDA. E vocês?
Vocês sabem que o peso de nossa mochila tem um custo oculto altíssimo?
O custo de esgotamento Físico, nós sabemos identificar facilmente.
O custo do esgotamento Emocional é identificado tardiamente.

Alguns exemplos:
• Hipersensibilidade.
• Chorar por qualquer coisa.
• Irritação contínua.
• Nível de energia baixo.
• Falta de memória.

“SInto uma perda de energia constante. Posso dormir 10 horas e acordo cansada”.
Isso é Esgotamento Emocional.
Se entendemos:
1. Que temos uma mochila.
2. Que a enchemos com uma série de sentimentos.
3. Que não fomos educadas a observar o que temos dentro dela.
4. Que temos que entender que é preciso esvaziá-la.
5. Que vamos ter que aprender a preenchê-la com coisas mais leves.
A limpeza emocional pode ser feita.
Como fazer?
Podemos fazer sozinhas, com apoio de uma amiga, de um ente querido ou com ajuda de um profissional.

Assim como organizamos nosso closet, podemos colocar ordem em nossa própria mochila. Separar o que nos faz bem e mal.
O que eu não podemos deixar de fora, temos que RESSIGNIFICAR, para carregar a mochila com outro peso.

A partir de agora, qual postura podemos assumir frente às nossas escolhas?

1º – Reconhecendo que existe uma mochila emocional pesada.
2º – Reconhecendo que somos merecedoras – de mudar, de aliviar esse peso.
3º – Tomando a decisão em direção ao propósito que temos em nossa vida.

Qual é o mínimo que podemos carregar?
Essa é uma pergunta que temos que nos fazer.
Para cada uma de nós, a resposta é 100% pessoal, de acordo com a nossa própria história.
Queremos caminhar mais leves porque buscamos qualidade de vida física e emocional.

A mochila que continuaremos carregando, nos permitirá desfrutar melhor, estar mais lúcidas e mais conectadas com as coisas que nos fazem felizes.
Só nós sabemos:
• O que não gostamos.
• O que cumpriu seu ciclo.
• O que vai nos acompanhar pela vida inteira…

Nós mesmas!

Relacionados
Autoestima

Autoestima é a valorização, positiva ou negativa, que a pessoa faz de si mesma, em função de seus pensamentos, sentimentos Leia mais

Empreendedorismo

Empreendedorismo é o processo de iniciativa de implementar novos negócios ou mudanças. É um termo muito usado no âmbito empresarial Leia mais

Autodependência

Autodependência significa saber que sou vulnerável, que não sou onipotente mas que sou responsável por mim mesma. Eu sou a Leia mais